6.6.06

Gay, eeeu?



A conversar sobre "bixanices" com o meu amigo Miguel:

/me: em ti, não noto nada de bixanices. nada mesmo
/me: lol
miguel: não acredito, tem que haver alguma coisa
/me: és mesmo a pessoa em quem noto menos, ou melhor, não noto. ponto final
/me: nem mesmo sabendo que és. Cabrão, é que não noto mesmo nada :P
miguel: já me disseram que era muito cuidado a me vestir, mas que de resto não se notava
/me: lol a vestir um cadito, sim. mas isso não conta
/me: porque como o teu estilo é masculino não fica nada mal
miguel: mas explica lá isso melhor o que e que no meu vestir tem de bixa? (interesse académico)
/me: por exemplo a tua pulseira não tem efeito prático, gajo que é gajo só usa coisas que tenham um objectivo. não se enfeita :P
miguel: hoje em dia quase todos os gajos usam acessorios :P
/me: bixas :P
/me: trixas :P
/me: invejosas
miguel: isso é o mm que dizer que por alguém usar perfume é bixa :P
/me: conheço quem o diga :P
miguel: tudo o que entra no exagero é estupidez quer no que é ser bixa quer no que é ser-se obtuso :P

Se até aqui o post foi partilhado, as respostas às três perguntas seguintes são mesmo minhas:

Porquê comportamentos abixanados?
Penso que há várias razões. Primeiro, a natural: se, no caso da homossexualidade um homem gosta de outros homens, não é de estranhar que as mesmas razões que levam a isso, sejam elas quais forem, possam levar também a outro tipo de comportamentos. Por outro lado, penso que também existe um lado mais consciente: afinal, muitos homens abixanam por completo quando estão à vontade e ficam machos latinos quando sentem essa necessidade. Finalmente, na nossa sociedade, apresenta-se a mulher como o modelo da pessoa que se apaixona por homens. Poderá ser difícil para algumas pessoas escaparem-se a esse paradigma. Os paradigmas do que deve ser o comportamento de cada género poderão, curiosamente, ao mesmo tempo levar alguns homens a tentar ser o que se entende por mais masculinos e levar outros a encaixar mais no género que é suposto gostar de homens.

Todos os gays os têm?
Depende se estão sóbrios ou ébrios... Tirando isso, diria que quase todos, em maior ou menor grau. Por isso mesmo se fala no gaydar (radar gay), na capacidade de se perceber se outra pessoa é ou não homossexual (o que pode passar pela sua forma de andar, falar, mover as mãos, olhar...). O que me lembra que tenho de comprar um desses.

E os heteros?
Claro que também. Aliás, há homens - bem seguros do seu género sexual - bastante efeminados (suponho que posso identificar abixanados com efeminados). Nisto, o que acho importante é a pessoa ser fiel a si mesma. Sendo que, obviamente, todos somos condicionados pelo mundo que nos rodeia. Concordo com a última afirmação do Miguel, tudo o que é exagero é estupidez. Sendo que entendo aqui o exagero como o desvio daquilo que naturalmente somos.

16 comentários:

no limbo disse...

Bem, considero que o estereotipo de bichisse esteja cada vez mais proximo do fim... Aliás, quanto maior a preocupação dos homens não-gays em relação ao aspecto/higiene, e quanto maior o à-vontade de gays sem tendencias a serem efeminados se assumirem como gays, menor se ligará à bichisse como gay, mas simplesmente com o aspecto efeminado. Ou então sonho... Por acaso tenho um amigo que não tem nada de bicha... a não ser olhar para montras e preocupar-se como que veste... se se chamasse miguel eu ficava preocupado...

Mr Fights disse...

Tens de comprar?
Não devia vir já acoplado?

lol

Miguel disse...

Acho especial piada ao facto de separares os comportamentos em virtude de se estar ébrio ou não :) É verdade que muitas vezes o alcool permite que as pessoas tragam ao de cima o que durante o dia a dia tentam esconder. Mas, há também os casos em que o alcool não passa de uma fachada para se ter esses mesmos comportamentos. A bela da ironia :)
Tens que me apresentar esse Miguel, parece um tipo porreiro :P

on disse...

Os ingleses acusam os franceses todos de serem "maricas": andam sempre misturados com as mulheres...
O que na verdade provoca um mínimo de efeminação...
Outro dia vi num blog um post com um inquerito sobre quais as mulheres europeias mais pretendidas. As inglesas ficavam mal classificadas. Depois perguntavam qual era as nacionalidades das miudas com quem ja tinham fornicado. Aí as inglesas apareciam em primeiro lugar. Os másculos homens ingleses não lhes dão suficiente atenção...

Finalmente, o grande sucesso entre o público feminino do meu blog é o imortal Oscar Wilde...

/me disse...

Mr Fights, pois não tenho mesmo jeitinho nenhum para ver essas coisas. :)

no limbo, talvez as pessoas venham a ter mais espaço para ser o que são. Uma vez um rapaz dizia-me que era bixa eu sorrir muito e ser simpático. Eis uma bixanice que não me incomoda nada ter. :)

Miguel, eis o Miguel. Miguel, eis o Miguel. Eco (nada a ver com eca, agora é a palavra italiana), estão apresentados!

Anónimo disse...

Não concordo muito com a segunda resposta. Acho que há homossexuais que não têm "comportamentos abixanados".
www.blog.jaimegaspar.com

/me disse...

Eu disse que quase todos, não todos. :)
Eu acho que não tenho comportamentos dito abixanados, se bem que a minha voz, bem, podia ser mais grave! :P

Anónimo disse...

querido /me

Também existe o paradigma na nossa sociedade, um pouco antagónico àquele que referiste, de que, quem tem pila é do género masculino.

A posse da pila nunca impediu um homem de ser bixa.

humm...

Ze Ribeiro disse...

Há muitos aninhos, milhões, a Natura, usando da autonomia que o Criador lhe deu, inventou uma maneira de assegurar extrema variabilidade dos indivíduos de uma espécie: a partição longitudinal da escadinha de ADN, com recombinação de duas metades provenientes de indivíduos diferentes. Por outras palavras: o sexo. Foi genial - e está na base do êxito da vida na Terra.

No princípio, o mesmo indivíduo transportava os dois sexos, como acontece hoje ainda no caracol, em que o coisinho do caracol A penetra a coisinha do caracol B, enquanto o coisinho do caracol B penetra a coisinha do caracol A. ( Penso muitas vezes como seria a moral sexual defendida pelas Igrejas - para aí 90% da moral delas - se fôssemos como os caracóis. )

Mais tarde, os indivíduos especializaram-se por sexo; julgo que, em última finalidade, para garantir cuidados especiais de um sexo à nova geração.

Muitas das diferenças de comportamento dos sexos podem ser explicadas por esta origem. Por exemplo, é claro que as mulheres são mais largas de ancas para parirem, e que têm mais gordura nas ancas e nas coxas para terem uma reserva para as crias ( hoje, isto não interessa, mas interessou ). Logo, andam de maneira diferente; e este andar foi transformado num meio de atracção do sexo oposto. Por exemplo, os homens são mais peludos, porque devem suar mais, porque o corpo deles está mais dirigido para o trabalho físico do que o da mulher.

Com paciência e bom senso, mesmo para características não físicas, tais como afectividade versus racionalidade, cooperação versus competição, consegue-se estabelecer uma lógica de sexo baseada na evolução da vida.

E depois?

Depois, tudo isto não vale muito - porque nós, os homens, há muito tempo que obedeçemos a outra lógica, que não a da selecção feita por forças biológicas. Quando um helicóptero transporta um recém-nascido para um hospital a trezentos quilómetros para que não morra, que tem isto a ver com selecção natural? Graças a Deus e a nós, obedecemos a outras lógicas.

Para quê, porquê, então, insistir em codificar os comportamentos de sexo? ( Prefiro "género", i e o "sexo" psicológico. )

Parece-me um muito grande disparate e nunca embarquei nisso.

Pessoalmente, adoro bixas - e trixas e poli-ixas -, que desenvolvem em mim um sentimento de grande ternura: tenho vontade de sentá-l@s ao colo e cobri-l@s de beijos. Curiosamente, os dois homens com quem tive relações longas eram o menos abixanados possível: um estilo marialva, adepto de pata e corno; outro jogador de râguebi cilíndrico e deliciosamente bruto.

Pessoalmente, tenho algumas características que não são muito frequentes em homens de barba rija:

i) Não tenho qualquer problema com a minha afectividade e com a expressão dela.

ii) A cooperação/solidariedade prima sempre sobre a competição.

iii) Vejo o "emparelhamento", não o "agrupamento" ou a individualização, como o meu estado normal.

iv) Valorizo altamente a ideia - e a práctica - da fidelidade numa relação estável. ( Os gays costumam ser acusados de promiscuidade; ora posso garantir que a dos heteros não fica atrás. )

v) Preocupo-me mais que o hetero médio com a saúde, o corpo e a roupa.

vi) Não tenho qualquer problema em usar adornos ( brincos, anel, piercings, ... ) ou perfumes.

vii) Adoro as tarefas domésticas, em especial culinária.

viii) Tenho um grande interesse por ponto de cruz.

E por aí fora.

Queridos amigos: A maior prenda que recebemos de Deus é sermos todos diferentes.

Abreijos,
ZR.

/me disse...

Ponto de cruz??? Pah, o resto ainda é de homem, mas ponto de cruz??? :P

Zé Ribeiro disse...

Caso não saibas, com ponto de cruz podes emular em trama as grandes obras da pintura europeia. O que é um maravilhoso passatempo.

Infelizmente, tenho problemas nos túneis ósseos do pulso por onde passam os nervos da mão que me impedem de me dedicar longamente a tarefas manuais minuciosas. ( Sublinho o "longamente" e o "minuciosas". )

E sempre me interessei também por tricot, crochet, ponto de Arraiolos, ... São passatempos muito relaxantes - e úteis.

Quanto a serem de mulheres - je m'en fous!

Tchuik,
ZR.

/me disse...

Non, non... Tu es fou! :P

;)
(brincadeira!)

Anónimo disse...

Tanta merda escrita num só post..
Já que gostas de te armar em intelectual e falar sobre estes temas informa-te melhor sobre eles.. Xegas a ser ridikulo rapaz ;)

/me disse...

Anónimo, publiquei o teu comentário só com uma intenção: a que dês a tua opinião.

Não me incomoda nada que aches que a minha é uma merda, afinal nunca afirmei o contrário.

Armar-me em intelectual é que não faço: eu gosto de pensar nas coisas, e faço-o à medida das minhas capacidades. Grave seria era se me arrogasse a ter razão. Este blog é para me divertir, não é um tratado científico.

Diz-me tu, que para isso publiquei o teu comentário: onde é que me posso informar melhor sobre estes temas?

(ah, mas peço-te 1- que não comentes como anónimo; arranja uma assinatura, qualquer que ela seja, nem que seja por iniciais 2- que uses de moderação no comentário, pois não é preciso insultar ninguém)

/me disse...

Ah, e no espírito do post, a minha resposta ao teu comentário seria: invejooosssaaa. :P

(estou a brincar)

naCasca disse...

compram-se radares gay? :| onde?!! :P acho q estou + "descuidado" agora q antigamente, e eu orgulhava-me muito do antigamente :P :D