12.2.07

É a guerra

Depois do episódio chocante da última noite, em que apanhei o rato em flagrante a roubar uma batata do saco das mesmas, decidi declarar guerra ao terror, digo, ao roedor. A resistência é fútil, procuro vingança, com ou sem o apoio da comunidade internacional, e lembro que a convenção de Genebra não se aplica a ratos. Armas químicas poderão ser e serão usadas, e a manteiga de amendoim que coloquei no meio do chão da cozinha tem um preço elevado... Ah, e à semelhança do outro, se vir que estou a perder a guerra, mando vir mais tropas. Defeat is not an option.



And now we wait...

Ah! E o meu namorado acaba de me dizer que me ajuda a apanhar o rato. =)
Bem que ele pode... é um gatinho*!

* eu disse-te que ia mesmo escrever :P

6 comentários:

Tongzhi disse...

Venham mais episódios. A guerra está interessante!

KA disse...

Faço reserva para ver (ler) os próximos episódios!!!

/me disse...

Mal tenha novidades, conto. :)
Espero tê-las muito em breve!

Aequillibrium disse...

LOL

Concordo. ele é um gatinho,mas tu tb.....

;)

Enoch disse...

Oooooooohhh... :D

Anónimo disse...

Algumas técnicas para caçar ratos. nunca dar com o martelo. O sangue tem tendência a espirrar por todo o lado. O veneno também não é uma boa opção... por causa dos gatos que comem os ratinhos e ficam com dores de barriga.... Tadinhos. Só resta a paciencia. esconder-se atrás do sofá ou de uma porta e aguardar. arme-se com o cabo de uma vassoura. deixe o rato aproximar-se. Não tenha medo nem se deixe intimidar. Atire-lhe com a vassoura. Um golpe seco e certeiro....

Estes conselhos foram retirados do manual de Instrucção militar: Guerra de Subversão e Anti-terrorismo (segunda edição, vista e ampliada pelo autor... dizem que o autor morreu ao tentar por em prática as técnicas de minagem da página 30)Bem feito para ele!!:)