11.11.07

Rufia

Quando alguém escreve num jornal "Definição de gente: pegue-se em José Castelo Branco, é o contrário", estão a excluir uma pessoa da condição humana por não gostarem dela? Lembra-me os putos rufias na escola que batem nos mais enfezados para parecerem machos.

Nota posterior: Escrevi um mail de protesto para o colunista. Este disse-me que o José Castelo Branco não é uma pessoa, é uma personagem criada por uma pessoa. Estava portanto a criticar as pessoas que se falsificam, suponho que enaltecendo a autenticidade. Assim sendo, a minha crítica deixa de fazer sentido.

9 comentários:

on disse...

1- Ninguém está a excluir ninguém.
É um jogo de palavras.

2 - O José Castelo Barnco é uma miserável amostra de gente. Não por ser gay, ou por o exibir, mas por tudo o resto.

3. Se ele não fosse gay, estavas a defendê-lo?

/me disse...

1- É um ataque gratuito, on. Do meio do nada, "bate" no José Castelo Branco...

2- Ele é gay? "Flamboyant" é de certeza, mas tanto quanto sei é casado com uma mulher. O que não quer dizer que não seja gay, mas não é pelos trejeitos que tem e por ser uma caricatura viva que vou presumir que o seja. As pessoas são complexas, e há muita variedade neste mundo.

3- De novo, ele é gay? E sim, estaria a defender qualquer outra pessoa, porque foi um ataque gratuito.

4- E admitindo que ele seja gay e eu o defendesse por essa razão, seria essa razão também que teria levado o cronista a atacar a personagem? Atacaria ele a personagem se esta não fosse gay?

/me disse...

Mais, tivesse ele escrito Lili Caneças em vez de José Castelo Branco, eu teria reagido da mesma forma.

on disse...

/me
nunca ouviste falar em gays casados?
Ela é bastante mais velha do que ele, e tem mais dinheiro do que ele...

O ataque não é tão gratuito como isso. O autor do post deve ter aberto a televisão e deu de caras com o ZCB.
Isso dá direito a um desbafo.

A Lili está na minha tabela de consideração uns bons furos acima do ZCB.

/me disse...

Sim, já ouvi falar em gays casados. Tal como já ouvi falar em pessoas heterossexuais efeminadas. Se a suposta homossexualidade da personagem está em causa, então pode-se pressupor que há um carga de homofobia no ataque à mesma?

Mas eu não fui por aí... Tu é que falaste na sexualidade da pessoa.

O ataque é completamente gratuito. Ele ter aberto a TV e dar de caras com o José Castelo Branco não tem rigorosamente nada a ver com a crónica que ele escreveu.

rato do campo disse...

Seja como for, penso que o senhor jornalista, ainda que se tivesse posteriormente retractado, já tinha metido a patita na poça. Aqui, no campo, quando chove, é difícil fugir às poças, sobretudo quando se tem diminuta dimensão. Mas, que diabo, na redacção de um jornal??? Fez muito bem em ter enviado o e-mail! Abraço, e perdoe a extensão do comentário.

/me disse...

Ora essa, rato do campo, eu fico contente por receber comentários extensos. :)

on disse...

Se um professor universitário defende um outro professor universitário de um ataque, é licito questionar: será que o teria feito se o outro não fosse professor universitário?

Claro que o PU não ia dizer que o outro era também PU...

O ZCB é um poluidor do ambiente. Como tal, se alguém quiser perder o seu tempo a combatê-lo, acho muito bem. Eu, não vou perder aí o meu tempo.

Tu, já mereces algum gasto de tempo da minha parte:)

/me disse...

:)