21.11.07

Orgulho hetero

E eis senão quando o orgulho hetero é celebrado pela Tagus, a "cerveja de verdade". Seguir-se-à o orgulho branco? Já que podemos brincar com tudo. :)

8 comentários:

Paulo disse...

Parabéns pela reacção heterofóbicaa. O meu irmão é gay e não compactua com a vossa militância fundamentalista. E se a campanha fosse "orgulho metro", talvez ninguém se sentisse ameaçado com os seus complexos de afirmação. Depente uma porcaria de um anúncio tornou-se numa caça às bruxas, tipica de regimes totalitaristas contra os quais todos nós (amantes da liberdade de expressão e da diferença) lutámos!

Quanto à argumentação básica do "e se fosse orgulho branco?", estamos a fazer paralelismos completamente falaciosos mas que dão jeito à argumentação. Que eu saiba nunca a comunidade heterosexual tentou exterminar a comunidade homosexual, ao contrário dos nazis.

/me disse...

Erm. Os nazis tentaram exterminar os homossexuais. Alguma inquisição também fez o seu papel. Houve até bem recentemente leis a penalizar a homossexualidade. Se calhar saber um bocado de história não era mau, Paulo.

Anónimo disse...

Paulo, 3 erros:

1. ninguém neste blogue se manifestou como militante fundamentalista, embora pareça ter respeito por quem seja. Pareceu-me um comentário com uma grande dose de generalização.

2. Ninguém se sente ameaçado de qualquer forma, hetero ou metro. Cabe sim, no âmbito deste blogue, informar e divulgar tudo o que possa ser de interesse para quem lê e levar à reflexão.

3. Não existe caça às bruxas nenhuma. Os publicitários e a marca foram claros quando disseram que queriam apenas fazer uma brincadeira para conseguir indices de notoriedade mais elevados. Eu sou gay e achei piada.

o quarto erro foi já corrigido pelo autor do blogue. :P

bernardo disse...

eu prefiro de longe a cerveja de munique a qualquer uma portuguesa. e o orgulho a que dou largas é o meu orgulho bávaro - com ou sem Lederhose :P

Aequillibrium disse...

Liberdade de expressão. A tagus tem direito a fazer a sua campanha. Eu tenho direito a dizer que não gosto. Simples, não é?

pinguim disse...

No "aequillibrium" é que está a virtude.

luis disse...

gostei muito do comentário que fizestes sobre este assunto no Maurice. ajudou-me a perceber o que estava em questão nesta campanha publicitária. Merecia ser enviado aos responsáveis da cerveja ou da campanha para que reflectissem um pouco sobre a discriminação homofóbica que se está oculta no 'orgulho hetero'. as suas observações foram ao ponto...

obrigado.

/me disse...

Obrigado pelo teu comentário, Luís. :)

Eu reconheço razão em muitas coisas ao Maurice, que é uma pessoa sensata e que gosto de ler. Mas neste caso acho que a questão é mais grave do que ele pensa.