7.12.06

Over the phone

Diz a minha mãe que as pessoas mudam. Pergunta-me porque é que todos os que conhece se passam a dizer gays aos 25/26 anos (convenientemente, a minha idade) e "deixam-se disso" aos 31/32.

E eu, que respondo?

Isto para não falar do processo de atribuição de culpas.

Bah.

13 comentários:

Anónimo disse...

/me... mas do que é que estás a falar?! :-)

Jaime
www.blog.jaimegaspar.com

/me disse...

De uma conversa que tive com a minha mãe. Ela quer que eu ganhe juizo e fique hetero. :P
E eu afirmo que já tenho muito juizo (embora às vezes, mas não neste caso, prefira não lhe ligar).

Gonçalo disse...

LOL!
O que se pode dizer?....Mães....todas iguais =)

Aequillibrium disse...

Isso quer dizer que tenho um ano, no máximo dois para aproveitar??????

/me disse...

Diz que sim... Depois viras hetero!

MC disse...

Vê-se que a tua mãe já se esqueceu dos seus "trinta"...é uma idade fenomenal para desabrochar...para sair do casulo. Tu depois me dirás...;)

RIC disse...

Gosto de ficar a saber que há um relógio biológico para as proclividades sexuais. Só que o meu ou avariou-se ou segue um qualquer fuso horário extraterrestre... Defeito de fabrico?...

Anónimo disse...

É a primeira vez que ouço falar em Gays que voltam a virar Hetero...

Até tenho um amigo que costuma dizer: Ser Gay ou Lésbica deve ser mesmo bom porque quem experimenta não volta!

Beethoven disse...

Pois é...
as mães gostam de nos ver crescer,
mas têm dificuldade em ver-nos crescidos.
Mais ainda quando crescemos
para fora dos seus "modelos".
Mas com jeitinho vão aceitando.
E nem é preciso que nos digam.
Basta perceber que nos amam.
É assim a minha mãe!

/me disse...

Ludwig, há tanto tempo!
Que bom ver-te por aqui. :)

Mr Fights disse...

Mas porque é que fiquei anónimo?????

Grunf

João disse...

Meu caro /me,

Tens de explicar à Senhora tua Mãe que quem vê a luz não tem nenhum interesse em voltar para as trevas!

Um abraço

Beethoven disse...

Pois é meu querido /me...~
Cá estou, como sempre estive,
acompanhando-te nas tuas peregrinações
e nas tuas vagabundagens.
Sim, peregrinos e vagabundos
que somos!